FIDAE 2004
PRIMEIRAS IMPRESSÕES

  
Roberto Portella Bertazzo, Pesquisador de Assuntos
Aeronáuticos, Membro da Associação Latino-Americana de Historiadores Aeronáuticos, Bacharel em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

 

 


          A décima terceira edição da FIDAE, realizada entre 29 de março e 4 de abril do corrente ano, na Base Aérea de Los Cerrillos, nos subúrbios de Santiago, teve como atrações principais o protótipo do Airbus A-318 e de um Boeing E-3 Sentry da RAF.

          Esta foi provavelmente a última feira realizada em Los Cerrillos pois a Base Aérea deverá ser desativada e a feira transferida para outro local.

Vista parcial da FIDAE 2004


          
         A presença da Embraer se limitou a um stand, ao contrário da edição passada na qual foram apresentados um Legacy e o protótipo do ALX.

          A Força Aérea Brasileira teve sua marcante atuação com as apresentações diárias da Esquadrilha da Fumaça, com seus Embraer Tucano T-27, que ao lado da esquadrilha de demonstrações chilena Los Halcones, com seus Extra 300, foram umas das poucas atrações de uma feira com pouco brilho. Também chamou a atenção um Hércules C-130H da FAB, mostrado pela primeira vez ostentando uma pintura verde escura com marcações em baixa visibilidade.


          O Museu da Força Aérea do Chile, exibiu em vôo algumas aeronaves históricas, entre elas um Fairchild PT-19, fabricado no Brasil, e que ostentou no passado a matrícula civil brasileira PP-HNQ e que tem o número de fabricação 275 e foi construído em 12 de abril de 1949 pela então Fábrica de Aviões do Galeão com a designação PT-19 3FG ( 3 = terceiro modelo produzido e FG = Fábrica do Galeão).

   Fairchild PT-19 (PT-19 3FG) e Sterman do Museu FACH.


          A Aerolíneas Argentinas apresentou um Boeing 737-200, reformado para transporte executivo, com o interior totalmente modificado para transportar 29 passageiros mais tripulação.

          A delegação Russa foi grande, sendo que o Rosoboronexport montou stands representando suas principais indústrias aeronáuticas. Os russos têm grandes chances de sair vencedores no projeto FX que dotará a FAB de uma nova aeronave de primeira linha. Os russos propõem a entrega de 12 aviões Sukhoi SU-35 à FAB. Eles também ofereceram seus já conhecidos e provados helicópteros e o novo Sukhoi SU-39, na verdade uma versão do SU-25.

          A Lockheed Martin Aircraft Argentina levou para a feira o protótipo do IA-63 Pampa e informou como será a nova versão deste avião, que está sendo preparada para a Força Aérea e a Marinha da Argentina, exibindo um mok-up do que será seu novo painel, totalmente digital, desenvolvido pela empresa israelense Elbit.

Painel atual IA-63 Pampa
Novo painel IA 63 Pampa


          Também importantes, foram os stands de Israel e dos Estados Unidos, que apresentaram os principais produtos das suas industrias aeronáuticas e de defesa.

          A delegação da Dassault Aviation, na pessoa do se Vice-presidente executivo Bruno Cotté, concedeu uma entrevista coletiva à imprensa, na qual tratou principalmente da questão do programa FX da Força Aérea Brasileira e das expectativas de sua empresa com relação a ele. Chamou a atenção para as vantagens que o Mirage 2000BR trará para a FAB e o Brasil no caso de ser o vencedor. Até agora, segundo o Sr. Cotté a Dassault já investiu 250 milhões de dólares no Brasil por conta do programa FX e várias tecnologias sensíveis foram transferidas à Embraer, o que segundo ele, possibilitou o desenvolvimento dos programas dos aviões Embraer 170 e 190.

          Afirmou ainda que a França não tem restrições quanto à venda dos armamentos destinados às aeronaves, salvo as que envolvam tecnologias relacionadas às áreas nuclear, mísseis ICBM e espacial.

          Um fato curioso, foi a ausência de representantes da Embraer, sócia da Dassault no programa FX naquela entrevista.

          Sem dúvida esta foi a mais fraca edição da Fidae dos últimos tempos, o que parece ser uma tendência para o futuro...

F O T O G R A F I A S - FIDAE 2004 - Roberto Bertazzo

C-130H da Força Aérea Brasileira com novo esquema de pintura.
209 Cobra Lifter, civil, pertencente à CopTers do Chile, e utilizado para transporte externo de cargas.
F-5 Tiger III do Chile, Força Aérea.
Mirage 5 MA Elkan da FACH.
Pod de contramedidas eletrônicas (Jamming) EL/L 8212 da Israelense Elta, instalado em um Mirage 50CN Pantera da Força Aérea Chilena.
Detalhe do Jamming no Mirage 50 CN Pantera da FACH.
Boeing 737-58N de uso presidencial.
F-16C da USAF.
Boeing 707-385C Condor de Alerta AéreoAntecipado (AEW)
Boeing E-3 Sentry da RAF.
Sikorsky S-70A-39 Black Hawk da FACH.
Eurocopter AS-350 Ecueril do Exército Chileno.
Aerospatiale AS-330 Puma do E. C.
McDonnell Douglas MD 369FF do Exército do Chile.