Paquistão: escolhas difíceis

               Não obstante os quantitativos significativos de efectivos militares deslocados para as zonas fronteiriças com o Afeganistão para impedir santuários talibãs, o Exército paquistanês continua a não poder reclamar qualquer sucesso em parar o crescente número de incursões de talibãs contra as forças da NATO a partir do território paquistanês. O estreito controlo dos poderosos serviços de informações militares sobre os movimentos religiosos e sobre os talibãs em especial deveria permitir fazer mais. Porque é que não é feito?


Convidamos aos leitores do UFJF/Defesa a lerem esta interessante análise do Vice-almirante (Reserva) Alexandre Reis Rodrigues publicado no site "Jornal Defesa e Relações Internacionais", Portugal, em 23 de agosto de 2007, que nos autorizou sua publicação no Brasil.


                                                 Para ler o texto completo
Clique aqui.