BIMOTOR 4x4 “SID MONZA”
UMA ABERRAÇÃO OFF-ROAD TCHÊ

 

 

 

 

            Imagine uma pessoa que gosta de off-road e tem aversão ao Jeep, por achá-lo desconfortável, pesado, instável e ultrapassado, principalmente quando se quer trabalhar sobre dunas, levando em conta que eixos rígidos e diferenciais que se arrastam sobre o solo atrapalhe em muito o seu rendimento.
            
A princípio pode parecer loucura, pois como imaginar um off-road sem o Jeep, mas às vezes ultrapassando estes parâmetros e conceitos pode-se chegar a alguma coisa incrível e totalmente foram dos padrões até então existentes.

            Isto aconteceu no Brasil, na cidade de Porto Alegre, RS, onde um jovem inventor Sidnei Monza da Silveira (Sid Monza) concebeu um estranho veículo off-road, confortável, estável, ágil, confiável, barato, econômico e rústico.

            Este estranho veículo o qual denominei BIMOTOR SID MONZA, cujo projeto é assim descrito pelo seu criador:
Inicialmente na concepção cheguei a cogitar a adaptação de tração em um bajabug (fusca) que tinha mecânica ideal para o off-road em meu conceito, por ser leve, sem radiador, barato e de pouca manutenção, mas logo desisti de projetá-lo pela dificuldade de adaptação da tração na dianteira. A partir daí pensei no Gol BX, mesma mecânica do buguy, pensei na tração da Pampa 4x4 e esbarrei na complexidade, dificuldade de peças e a baixa altura... e, me veio o estalo, vou botar um motor análogo atrás como no bajabug. Deitei embaixo do primeiro gol que vi e vibrei.

  
         Parece que o fizeram pensando nisto, a abertura das longarinas traseiras são perfeitas para a adaptação do motor, bastava abrir o assoalho do porta malas entre elas. O isolamento para o interno foi legal, na oficina que eu estava fazendo a funilaria tinha um Kombi em fase de pintura, e eu peguei a tampa traseira e esta se encaixou perfeitamente entre o acento e o cofre traseiro.

  
         A partir daí partiu-se para os sistemas mecânicos, como o sistema de embreagem, onde foi colocado um servo freio hidráulico do caminhão Volkswagen que ficou ótimo e na caixa um varão comum. O veículo ficou excelente de freio, pois passou a contar com freios a disco nas quatro rodas. Os cubos de rodas aro 15`, quatro furos, são as do veículo Renault e os pneus Goodyear rechapados na versão Jeep-cross, sendo que foi necessário inverter o cubo da roda para melhor adaptação”.

            A proposta inicial de se ter um veículo leve off-road, baratíssimo, confortável, potente e de baixíssima manutenção havia sido concluída e com êxito, podendo até afirmar se o primeiro 4x4 popular no Brasil.

            Seu funcionamento é assim descrito pelo inventor: “É um bimotor, com dois sistemas idênticos e independente, inclusive parte elétrica, agregado, motor, caixa, eixos de freio, etc., com dois motores 1600 a ar, duas caixas de marchas, sendo que o sistema traseiro foi virado para trás com o pinhão da caixa invertido para as marchas ficarem para frente, o sistema de direção traseiro eu travei, mas se quisesse poderia tê-lo mantido. Muito simples, rústico e barato, no mais é acelerar e segurar o bicho e curtir as delícias do off-road.”

            Sem dúvida este princípio lembra em muito o do veículo alemão Tempo G 1200 desenvolvido e produzido em série nos anos 30 e empregado por diversos exércitos antes e durante a segunda guerra mundial, inclusive pelo Exército Brasileiro, muito embora ambos os projetos não fossem contemporâneos e o mais novo desconhecia por completo a existência do anterior, há uma certa coincidência e só. Como o Tempo G 1200 este também pode ter aplicações militares, em situação de emergências em uma luta assimétrica, por exemplo.

            A capacidade criadora e inventiva do brasileiro é algo surpreendente e muitas vezes se perde no tempo por falta de divulgação e a  maioria passa despercebida, por ter sido criado em casa e às vezes como soluções simples e baratas, ao contrário do que existe em produção seriada e disponível no mercado, a um custo enorme e inacessível à maioria dos que admiram e gostam do off-road.

            Os interessados neste conceito de veículo poderão entrar em contato com o inventor através do telefone 0xx51 9822-2940 ou e-mail [email protected] para maiores esclarecimentos.


Ficha Técnica:

Nome original: GOL LS 1.6
Nome atual: BIMOTOR SID MONZA
Estrutura: Carroceria em chapas de aço estampado, estrutura monobloco diferenciada
Comprimento: 3,79m
Largura: 1,60m
Altura: 1,50m
Distância do solo: 0,50m
Peso: uns 800kg
Motor: Dois motores, um dianteiro e um traseiro, longitudinal, 4 cilindros, 1.584cc, 66 HP, carburação dupla, a ar por ventoinha tipo axial; a gasolina..
Transmissão: Traseira e dianteira, duas caixas de mudanças de 4 velocidades, à frente e uma à ré, sendo uma bloqueada. Embreagem monodisco a seco, platô tipo mola-membrana.
Suspensão: dianteira e traseira, MCPherson, independente, braços triangulares, colunas de suspensão com molas hilicoidais.
Direção: Tipo pinhão e cremalheira
Tripulação: 5 pessoas
Capacidade do tanque de combustível: 55 litros mais um tanque suplementar, em virtude dele estar com um motor à gasolina dianteiro e outro a álcool, traseiro que será convertido para gasolina.


Fotos, Legendas e Créditos:

Vista frontal do 4x4 “Sid Monza” ( Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

 Lateral direita do Gol modificado, notar seu ar imponente. (Foto Giorgy Ismael da Rosa)

 Vista de como ficou a traseira do veículo após a colocação do motor. (Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

 Detalhe da colocação do motor traseiro no Gol modificado e transformado em um 4x4 denominado “Sid Monza”. (Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

O criador ao lado da sua criatura – um 4x4 popular partindo de um Gol BX. (Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

 O veículo em ação com os dois motores funcionando em condições típica off-road. (Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

 O veículo em ação com os dois motores funcionando simultaneamente.(Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

 Desempenho em terreno lamacento não deixa nada a desejar. (Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

  Interior do compartimento do motorista, notar as duas alavancas deste 4x4. (Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

 Outra vista do veículo em pleno funcionamento em terreno com vegetação rasteira após chuvas. (Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

Outra vista com os dois motores em funcionamento. (Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

O veículo entrando em um local apropriado a um 4x4. (Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

Facilidade de manobras. (Foto - Giorgy Ismael da Rosa)

Detalhe do GOL quando de seu lançamento nos anos 80. (Desenho Volkswagen do Brasil)