Ministério da Educação
Governo Federal - Brasil, um país de todos

LANÇAMENTO DE LIVROS - OUTUBRO 2013

Livros: Blindados no Brasil Vol - 1, Vol - 2; Renault F-17, Blindados no Haiti & Motorização no Exército Brasileiro 1906-1941

RELEASE LIVROS - COMO ADQUIRIR

Difusão de Notícias

Novidades UFJF/Defesa e Centro de Pesquisas Estratégicas
A Engenharia de Fortificação e Construção no Contexto das Guerras do Século XXI
Forças Terrestres - Geral
28-Nov-2013

       Nos dias atuais, a arte das fortificações tem sido praticamente desconsiderada nos estudos táticos, por admitir-se que a atual mobilidade e poder de fogo dos exércitos modernos são capazes de tornarem antiquadas estruturas estáticas de defesa. Esse pensamento é reforçado pela falsa premissa de que a tecnologia reduz a necessidade da presença física do homem em combate e, por conseguinte, da sua proteção. A realidade, no entanto, tem demonstrado o contrário. O poder de fogo das armas tem realmente aumentado, tanto em capacidade de destruição quanto em eficiência. É exatamente por isso que, embora o conceito de obstáculos estáticos tenha mudado muito nos últimos tempos, a necessidade de se erigir construções para proteção de pessoal e material passou a ser...

Para ler este interessante artigo, publicado na revista americana Military Review Julho-Agosto 2013, páginas 56/61, Edição em Português, CLIQUE AQUI . (313 KB)

 
Políticas de Interiorização do Médico Brasileiro
Gestão do Conhecimento - Gestão do Conhecimento
26-Nov-2013

       Como avaliar a estratégia governista para a interiorização do médico? Quando se fala de estratégia, fala-se de um plano arquitetado para alcançar um fim, que neste caso é a interiorização do médico. É necessário buscar a fundamentação desta estratégia. Quanto ao médico que vai ao interior, deve-se compreender que o mesmo possui certas características básicas, que atendem à vocação de médico da família e de médico da comunidade que necessita de atenção primária. Algo que, apesar do nome, pode ser extremamente complexo. Para avançar na análise conceitual serão utilizadas ferramentas...

Para ler o artigo na íntegra, CLIQUE AQUI. (196 KB)

 
O EMPREGO DOS ESQUADRÕES DE FUZILEIROS MECANIZADOS DE FORÇA DE PAZ NO HAITI: CONTRIBUIÇÕES PARA ...
Forças Terrestres - No Brasil
12-Nov-2013

          Em 2004, o Brasil assumiu a liderança militar da missão das nações unidas para a estabilização do Haiti (MINUSTAH), enviando um efetivo de mais de 1.200 militares para compor o Batalhão Brasileiro de Força de Paz (BRABAT), constituído por três Companhias de Fuzileiros, uma Companhia de Comando e Apoio, um Grupamento Operativo do Corpo de Fuzileiros Navais e o Esquadrão de Fuzileiros Mecanizados (Esqd Fuz Mec F Paz), constituindo o maior engajamento em operações de paz na história das Forças Armadas brasileiras.  O Esqd Fuz Mec F Paz se tornou uma fração singular para o Exército Brasileiro, em função de sua composição de meios distinta de qualquer tropa de Cavalaria do Exército. Concebido para operar como força de choque do BRABAT, participou ativamente do processo de pacificação do Haiti, atuando em toda a área de operações sob a responsabilidade da tropa brasileira. Neste sentido, o presente estudo teve por objetivo integrar o histórico da participação dos 11 primeiros contingentes do Esqd Fuz Mec F Paz e as informações científicas relevantes e atualizadas, a fim de fornecer subsídios para a melhor compreensão sobre os reflexos do emprego do Esqd Fuz Mec F Paz nas contribuições para a tropa mecanizada. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica baseada em publicações de autores de reconhecida importância no meio acadêmico e no meio militar. Foram realizados três questionários, sendo o primeiro destinado a oficiais e sargentos que desempenharam funções de comandante de tropa no Haiti; o segundo, para os Oficiais de Operações das Unidades de Cavalaria do Exército Brasileiro, que enviaram tropas para o Haiti; e o terceiro para oficiais superiores que desempenharam funções de comando e planejamento de emprego do Esqd Fuz Mec F Paz. Sendo ainda realizadas duas entrevistas com especialistas em tropa mecanizada e engenharia militar. Os resultados indicam que a participação do Esqd Fuz Mec F Paz contribuiu para a evolução do adestramento das tropas mecanizadas, na capacitação profissional e no desenvolvimento da liderança de seus comandantes de frações, contribuindo, ainda, para a evolução do emprego dos meios blindados e mecanizados em operações internas e de paz.

Para ler esta Dissertação de Mestrado apresentada à EsAO em setembro de 2013, pelo Cap. Cav. Armando José Crescencio Júnior, CLIQUE AQUI . (1,24 MB)

 
FEIÇÕES DOUTRINÁRIAS DO POSITIVISMO BRASILEIRO
Centro - História do Pensamento Estratégico - No âmbito brasileiro
31-Oct-2013

O Positivismo no Brasil encaixou-se no leito das nossas tradições culturais. Dentre estas, talvez a mais forte seja a do cientificismo pombalino. Esse acomodamento deu lugar à versão cientificista do positivismo, presente no denominado “positivismo ilustrado”, bem como no positivismo no meio militar e naquele ligado ao Castilhismo. Já o positivismo religioso, ligado à Igreja Positivista (denominada também de Apostolado) inseriu-se na velha trilha do messianismo político que, à sombra do Sebastianismo, mergulha na névoa dos tempos da história de Portugal. O Positivismo, como doutrina política em pugna com outras ideologias do século XIX, terminou se acomodando às necessidades apologéticas. Na concepção organicista de sociedade..

Para ler o artigo na íntegra, CLIQUE AQUI . (223 KB)
 
<< Início < Anterior | 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 | Seguinte > Final >>