Ministério da Educação
Governo Federal - Brasil, um país de todos

LANÇAMENTO DE LIVROS - OUTUBRO 2013

Livros: Blindados no Brasil Vol - 1, Vol - 2; Renault F-17, Blindados no Haiti & Motorização no Exército Brasileiro 1906-1941

RELEASE LIVROS - COMO ADQUIRIR

Difusão de Notícias

Novidades UFJF/Defesa e Centro de Pesquisas Estratégicas
CASTILHISMO, AUTORITARISMO E REPUBLICANISMO
Gestão do Conhecimento - Gestão do Conhecimento
04-Oct-2013
     Estudar o Castilhismo é identificar a ideologia que terminou por dar identidade ao Brasil republicano. Porque foi ao ensejo dessa doutrina que se consolidaram as instituições do Estado Nacional, no longo período getuliano. O Brasil, após a concretização da proposta modernizadora de inspiração castilhista por Getúlio Vargas, já não seria mais o mesmo. Superamos definitivamente, após esse ciclo, o velho arquétipo de República oligárquica que nos irmanava às outras nações herdeiras do patrimonialismo tradicional ibérico. Consolidou-se o nosso país como uma nação moderna, que aspira ao progresso e ao desenvolvimento. Superamos o velho caudilhismo, que ainda ...
 
Para ler o artigo na íntegra, CLIQUE AQUI. (216 KB)
 
 
INTERMEDIAÇÃO ESTATAL NAS EXPORTAÇÕES DE EQUIPAMENTOS MILITARES: O CASO DA TRADING RUSSA ROSOBORONEX
Centro - Estratégia Contemporânea - No âmbito brasileiro
02-Oct-2013
         Em razão do baixo volume de aquisições de armamentos realizadas pelas Forças Armadas da Rússia a partir do fim da Guerra Fria, o mercado externo tornou-se essencial para a sustentabilidade da indústria de defesa daquele país. Por esse motivo, diversas iniciativas de promoção de produtos militares no exterior passaram a ser realizadas, destacando-se, neste processo, o surgimento da empresa estatal Rosoboronexport, criada em 2000, com o objetivo de centralizar o processo de compra e venda de equipamentos militares. A criação da empresa foi acompanhada de significativa expansão das exportações de armamentos russos. O objetivo deste artigo é analisar o processo de reorganização das vendas de armas russas no exterior desde o fim da Guerra Fria, com ênfase na atuação das agências estatais que realizam as atividades de intermediação dessas vendas. São inferidas algumas lições para o Brasil, tendo em vista a previsão de criação de uma trading brasileira dedicada às atividades de compra e venda de armamentos no exterior. A centralização desse processo na Rússia parece ter contribuído efetivamente para a expansão das vendas. Vale ressaltar, contudo, que a Rússia é um caso particular, em função, entre outros aspectos, da dimensão de sua indústria de defesa, das suas instituições políticas e do histórico de suas relações exteriores.
 
Para ler o artigo na íntegra, o qual foi publicado no Boletim de Economia e Política Internacional | BEPI | n. 14 | Maio/Ago. 2013 do IPEA - Brasília, CLIQUE AQUI. (236 KB) 
 
A Ascensão das Máquinas: Por que Armas Cada Vez Mais “Perfeitas” Ajudam a Perpetuar Nossas Guerras
Tecnologia Militar - Tecnologia Militar
24-Sep-2013
      No início de 2004, a Companhia de Inteligência que eu comandava, em Bagdá, recebeu cinco dos primeiros veículos aéreos não tripulados (VANT) Raven empregados no Iraque1. O VANT Raven é uma aeronave de reconhecimento pequena, lançada à mão, que, provavelmente, nunca teve papel de destaque em nenhuma discussão sobre a ética de conduzir a guerra com robôs controlados remotamente. Esse VANT (ou drone) não é municiado com armas nem pode se distanciar mais do que alguns quilômetros de seu controlador. Parece mais um grande avião de brinquedo do que uma arma de guerra. Na frente de meus soldados, demonstrei bastante empolgação com esse meio. Nem todo o meu entusiasmo era fingimento. Fiquei realmente animado com a tecnologia e com o fato de...
 
Para ler este interessante artigo, publicado na revista americana Military Review - Julho-Agosto de 2013, páginas 2/15, CLIQUE AQUI. (457 KB)
 
CHAMEM O LADRÃO
Centro - História do Pensamento Estratégico - No âmbito brasileiro
20-Sep-2013

       Tornou-se infelizmente realidade a expressão que resume a frustração da plateia quando o bandido do filme ganha a parada: “A polícia não presta. Chamem o ladrão!” Os mensaleiros estão em festa. A lulopetralhada aplaude. Militantes, mensaleiros e juízes sem compromisso com a Nação conseguiram, afinal, aparelhar o Brasil, tendo desarmado e desmoralizado o Supremo. O Ministro Celso de Mello, que tinha condenado os mensaleiros com palavras duras, terminou cedendo e aprovando a admissibilidade dos embargos infringentes, fato que praticamente desmonta a condenação...

Para ler o artigo na íntegra, CLIQUE AQUI. (107 KB)

 
<< Início < Anterior | 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 | Seguinte > Final >>